skip to Main Content

11/09/2021 Assembleia Geral Ordinária

Apresentação

“A novidade, em si mesma,
nada significa, se não houver nela uma
relação com o que a precedeu.” 1
(Fernando Pessoa)

Passados exatos 10 anos, a comunidade da EPFCL-Brasil volta a tomar “o sintoma” como tema de seu encontro anual. Para a psicanálise, o retorno é necessário. O que não quer dizer que seja ao mesmo que se retorne. É na segunda volta que o significante pode se sobrepor a si mesmo, fazendo com que opere o corte que extrai o Real como aquilo que retorna sempre ao mesmo lugar. Isso nos leva a perguntar: ao voltar a esse tema, hoje, o que nos é possível extrair?

A novidade começa por articularmos agora “O Sintoma e o Psicanalista”, talvez porque eles estejam numa relação que vai além de uma simples justaposição. Parodiando a fórmula lacaniana, podemos dizer que “o psicanalista é o sintoma”: no plano político, por tomar a seu encargo um discurso que a civilização rejeita; no plano da clínica, pelo fato de o analista se instaurar para cada sujeito como “parceiro sintoma”, aquele que encarna na relação transferencial o encontro com o impossível. De Marx a Freud, na política e na clínica, portanto, o sintoma representa aquilo que não anda e o psicanalista faz disso, ofício. Essas são as duas escansões que já estavam presentes no tema que estudamos em 2010.

No entanto, é com Lacan que vamos poder passar o sintoma ao estatuto de “solução possível”. Ao fazer entrar o sintoma do início – aquele que é fonte dos padecimentos de um sujeito – no fio lógico da estrutura, torna-se possível amarrar política, clínica e ética assinalando que, lá onde o sujeito emperrava, está também o ponto que permite retirar, do próprio sintoma, uma satisfação de fim. É o sinthome, escrito em sua grafia arcaica, como um nó que vem enlaçar borromeanamente Real, Simbólico e Imaginário. Eis nossa terceira escansão: “topologia” que, junto às outras duas faz a novidade de nosso tema em 2020: “O Sintoma e o Psicanalista: topologia, clínica, política”.

O mundo mudou bastante nessa última década. Assistimos ao avanço do discurso científico, com novos adventos do real e seus efeitos de segregação. Em “A Terceira” Lacan afirma que “o sentido do sintoma depende do futuro do Real”2. O que se pede à psicanálise é que ela nos livre, exatamente, do real e do sintoma. No entanto, acrescenta ele, se a psicanálise for bem-sucedida nessa tarefa, o que nos espera
é a volta da verdadeira religião e o esquecimento da verdade. A vetorialização da psicanalise, portanto, não pode ser em direção ao êxito em atender o que lhe é pedido, mas ao ponto onde isso fracassa, sempre. Manejar esse fracasso, sem colmatá-lo, é a tarefa. Estarão os psicanalistas de nossa época à altura dela? “Psicanalistas não mortos, segue carta”3 e o convite para estarem presentes no XXI Encontro da EPFCLBrasil a fim de fazermos avançar essas questões.

Post-Scriptum: E eis que enquanto nos preparávamos para o encontro de 2020, mais uma vez “aquilo que não anda” se atravessou entre nós com toda a sua força. Impedidos de nos reunirmos presencialmente devido à pandemia de COVID-19, optamos por esperar, esperançando um 2021 melhor. Não foi assim até agora e não temos motivos para crer que será. É por isso que a esperança não é a melhor disposição para fazer frente ao Real, pois não há garantias de um “amanhã que canta”4. Passado o tempo de nos situarmos em relação ao que estamos atravessando, decidimos continuar, da maneira que é possível e com os recursos de que dispomos. Não porque precisamos seguir a qualquer custo, mas porque talvez possamos fazer desse momento um “encontro” em toda a polissemia que a palavra permite: afirmação dos nossos laços de trabalho e do desejo que sustenta a vida.

Por Lia Silveira – Coordenadora da Comissão Científica.


1. PESSOA, F. Páginas íntimas e de auto-interpretação. Lisboa: Ática, 1996.
2. LACAN, J. A Terceira [1974]. Texto inédito. Disponível em http://lacanempdf.blogspot.com
3. Id., ibid
4. Id., ibid

Normas para envio das propostas

Aviso importante:

Tendo em vista a situação sanitária da pandemia de COVID – 19, o XXI Encontro ocorrerá de forma virtual, o que levou à necessidade de restringir a quantidade de trabalhos a serem apresentados. Assim, a Comissão Científica em conjunto com a Comissão Organizadora decidiu por receber trabalhos apenas dos membros dos Fóruns do Campo Lacaniano e dos participantes de Formações Clínicas.

Enviar proposta de intervenção de, no máximo, 1.500 caracteres com espaço para XXI encontronacionalsalvador@gmail.com, acompanhado do comprovante de inscrição no evento até o dia 23 de maio de 2021. Somente serão avaliadas as propostas acompanhadas de comprovante de inscrição de todos os autores. A proposta de intervenção deve incluir os seguintes pontos:

  1. Título.
  2. Subtema em que o trabalho se encaixa (conferir os subtemas propostos abaixo).
  3. Apresentar a questão ou o objetivo a ser abordado e o desenvolvimento do argumento, de modo a permitir que a Comissão Científica entenda o objetivo da proposta, a argumentação lógica e a pertinência temática.
  4. Especificar o Fórum do qual é membro ou as Formações.
  5. Clínicas de que participa.

Todos que tiverem seu trabalho aceito pela Comissão Científica deverão enviar o texto definitivo até o dia 15 de Agosto, de acordo com as seguintes normas: texto de no máximo 5.000 caracteres com espaço, sem contar as referências bibliográficas e o cabeçalho.
Só serão aceitas propostas e versões definitivas que respeitem essas especificações e o prazo de envio. Com curtas intervenções visamos privilegiar o debate e escutar o maior número possível de colegas. A seleção das propostas e a organização do programa definitivo estão a cargo da Comissão Científica composta por: Lia Silveira (coordenação), Alba Abreu, Andrea Brunetto, Andrea Fernandes, Claudia Leone, Danielle Baggio, Elynes Lima, Glaucia Nagem, Leonardo Pimentel, Rainer Melo, Zilda Machado.

Sugestões de subtemas

1- Real, Simbólico, Imaginário: amarrações possíveis (Os tipos clínicos nos nós; Inibição, sintoma e angústia; Nomeação; Os nomes do pai; Troumatisme

2- O Sintoma em Freud e em Lacan (Os caminhos da formação do sintoma; O sentido do sintoma; O sintoma na clínica estrutural; Sintoma e mais-valia; Sintoma, gozo e inconsciente; do Sintoma ao Sinthoma)

3- O Psicanalista Parceiro Sintoma (Transferência; O analista, sua estratégia, sua tática e sua política; Atravessamento da fantasia; O tempo na análise; O desejo do psicanalista; A queda do Sujeito Suposto Saber no final da análise)

4- O Psicanalista e o Sintoma na Clínica com Crianças e Adolescentes (O lugar do sintoma da criança na contemporaneidade; Os impasses do saber na clínica com crianças e adolescentes; Final de análise na clínica com crianças e adolescentes; Amarrações do nó na clínica com crianças e adolescentes; Patologização da infância; A criança e o adolescente nos laços sociais; Adolescência: saber, desejo e gozo; Adolescentes em conflito com a lei)

5- O psicanalista e o mal-estar na contemporaneidade (Sintoma e religião; O psicanalista frente aos efeitos de segregação; A criança generalizada; O psicanalista nas instituições de saúde, na universidade e na pólis)

6- Sintoma, sexualidade e sexuação (Novas formas de parceria; O sexo e os discursos; O a priori fálico; Varidades de gozo; O outro gozo; Identidade e identificações)

Para maiores informações, entre em contato com a secretaria do evento através do e-mail: xxiencontronacionalsalvador@gmail.com

Cordialmente,
Comissão Científica do XXI Encontro Nacional da EPFCL-Brasil

Assembleia Geral Ordinária da EPFCL – Brasil acontecerá em 11/09/2021, às 9 horas e o Espaço Escola dia 28/08/2021. Mais detalhes serão divulgados posteriormente.

Comissões de trabalho

Coordenação Nacional
Comissão de Gestão EPFCL – Brasil
Robson Mello – diretor (coordenação)
Julie Travassos – secretaria
Juliana Costa – tesouraria

Coordenação Local
Andréa Fernandes
Francisco Dias
Ida Freitas (coordenação)
Pollyana Almeida
Vera Edington

Comissão Científica
Alba Abreu
Andrea Brunetto
Andrea Fernandes
Claudia Leone,
Danielle Baggio
Elynes Lima
Glaucia Nagem
Leonardo Pimentel
Lia Silveira (coordenação)
Rainer Melo
Zilda Machado

Equipe de Prelúdios
Marcella Laboissière e
Robson Mello

Comissão de Divulgação
Alessandra Borges
Claudia Saldanha
Célia Fiamenghi (coordenação)
Danieli Lameira
Daniele Salfatis
Elvina Maciel Lessa
Flávia da Silva Tereza
Graciele Freitas
Marília Albuquerque
Marisa Costa
Raquel Romano
Rita de Cássia Ribeiro
Rosana Baccarini
Rosane Grippi
Samila Dutra Rocha

Back To Top