EPFCL - Brasil 

Sede permanente

Rua Goethe, 66 - 2º Andar - Rio de Janeiro

Comissão de Gestão

Diretora: Elizabeth da Rocha Miranda  -  Secretária: Andréa Franco Milagres  

Tesoureira: Geisa Freitas

 

Prelúdio 11 - Márcio Brandão

Enlaces e desenlaces do sujeito com o significante na criação artística 

 

 

O enlace do sujeito com o significante também se dá no processo de criação artística através da sublimação, um dos destinos da pulsão. Na sublimação, diz Lacan, o objeto é elevado à dignidade da Coisa. Seria digna, penso eu, porque a pulsão aí não é mais subjugada a um equívoco: o sexual, tempo em que o significante se veste (vél) de falo enlaçando o sujeito.

 

O processo da criação artística oferece ao sujeito-artista um gozo que não é fálico, já que dessexualizado do seu objetivo; trata-se do gozo estético, momento em que o sujeito se despe de sua subjetividade para, em ato, arranhar a superfície do real, criação ex-nihilo. No ato da criação o sujeito se desenlaça do significante enquanto falasser para criar nova articulação de significantes escritos em imagens, fora da cadeia de automaton.  Esse gozo da criação permite que o sujeito possa se colocar como desejante. 

 

Desta forma o Belo, inicialmente conceituado por Lacan como o último vél contra o horror da castração, se apresenta também como um instrumento com o qual o sujeito pode fazer frente à sedução do Bem Supremo, ilusão de completude.

 

Não se trata aqui de querer aplicar a psicanálise para “interpretar” o artista, mas a arte poder falar do inconsciente.

 

Quando se trabalha o gozo estético pela via do Belo não é a partir de um ideal, mas de um “encontro com o real”, como poderia dizer Picasso. Mas é em “Antígona”, apresentada por Lacan no Seminário sobre a Ética, que vemos sua beleza agalmática, brilho que cega e aponta para o desejo puro, desejo de morte, mas que também, ao fazer frente ao Bem, se apresenta como expressão da ética do desejo.

 

 O gozo estético organiza, enquanto ético, as manifestações do retorno do recalcado pela via da sublimação, nas manifestações do sujeito na cultura. Um antídoto contra o mal-estar. 

 

Assim, temos no processo de criação artística a presença de gozo e de desejo, duas condições que surgem a partir da relação do sujeito com o significante: enlaces e desenlaces.