EPFCL - Brasil 

Sede permanente

Rua Goethe, 66 - 2º Andar - Rio de Janeiro

Comissão de Gestão

Diretora: Elizabeth da Rocha Miranda  -  Secretária: Andréa Franco Milagres  

Tesoureira: Geisa Freitas

 

Como o psicanalista do século XXI poderia enfrentar o desafio de fazer valer seu discurso na especificidade da ética que ele porta? Trata-se de uma discussão sobre a possibilidade de transmissão da psicanálise - com a virulência que lhe é própria - e da formação do psicanalista, interrogando a relação entre o coletivo representado pela instituição psicanalítica e o singular das análises de cada um. A necessidade e o desejo por uma Escola de psicanálise têm, nesse contexto, o sentido de tomarmos para nós a responsabilidade de deixar sem resposta a questão “o que é um psicanalista?”. A aposta por uma Escola que não sobreponha o Ideal ao furo do saber absoluto mas, ao contrário, que possa suportá-lo. O princípio da permutação, os dispositivos do cartel e do passe - que merecem cada um deles uma análise detalhada - são as estruturas que tentam dar conta de sustentar um funcionamento que possibilite um tratamento analítico ao Real inerente à formação do psicanalista. 

 

Uma Escola é feita para sustentar a contingência do ato analítico, dando-lhe o apoio de uma comunidade animada pela transferência de trabalho. Através das análises, das supervisões, do trabalho pessoal sobre os textos, da elaboração com vários nos cartéis, da experiência de transmissão do passe, essa comunidade se esforça para fazer circular e submeter ao controle o saber que a experiência deposita e sem o qual não há ato analítico. 

 

A Escola de Psicanálise dos Fóruns do Campo Lacaniano (EPFCL) é internacional e foi criada em dezembro de 2001, por votação da assembleia da IFCL, como resultado de um amplo debate sobre o que deve ser uma Escola de psicanálise orientada pelo ensino de Jacques Lacan. Suas estruturas e finalidades estão definidas no texto “Princípios diretivos para uma Escola orientada pelos ensinamentos de Sigmund Freud e de Jacques Lacan”, modificada em 2006 a partir de votação de todos os membros. A Escola de Psicanálise dos Fóruns do Campo Lacaniano tem como objetivo transmitir a experiência original que constitui a psicanálise, elaborar um saber sobre isso, permitir a formação de psicanalistas, fundamentar sua qualificação e garanti-la. O funcionamento da Escola em nível internacional é assegurado por dois Colegiados: o Colegiado Internacional da Garantia (CIG) e o Colegiado de Animação e Orientação da Escola (CAOE). 

 

A Escola tem como funções: 1) sustentar “a experiência original” em que consiste uma psicanálise e permitir a formação dos psicanalistas; 2) outorgar a garantia dessa formação pelo dispositivo do passe e pela habilitação dos psicanalistas “que deram suas provas”; 3) sustentar “a ética da psicanálise que é a práxis de sua teoria”. 

 

Os membros da Escola são admitidos nos Fóruns ou conjunto de Fóruns que agrupam mais de trinta membros sob a responsabilidade de uma Comissão de Admissão. No Brasil, essa comissão é a Comissão Local Epistêmica da Acolhimento e Garantia (CLEAG).

 

A Escola de Psicanálise dos Fóruns do Campo Lacaniano outorga uma garantia cujos títulos foram definidos por Lacan. O título de psicanalista membro da Escola (AME) é outorgado – a partir de propostas das Comissões locais – por uma Comissão de Habilitação internacional. O título de psicanalista da Escola (AE) é outorgado pelos Cartéis do Passe, compostos dentro do Colegiado Internacional da Garantia.

Escola